Projetos voltados para mulheres

Oficinas

Voluntários estrangeiros ministram oficinas para compartilhar suas habilidades com nossas mulheres. Recentemente, seis mulheres participaram de uma oficina de massagem com nossa voluntária sueca Susanna, que é terapeuta ocupacional. As seis mulheres aprenderam como  lidar com enfermidades comuns como dor nas costas e desconforto através de diferentes técnicas de massagem.

Elas também fizeram uma oficina de confecção de bijuterias com nosso voluntário escocês Addison. Ele ensinou às mulheres como fazer broches, colares e presentinhos com miçangas, feltro, pano e resina. As mulheres adoraram este workshop em que puderam exprimir sua criatividade e fazer algo com suas próprias mãos.

Aulas de inglês

Regularmente, a Karama organiza aulas de inglês para mulheres. Atualmente, existem muitas poucas mulheres no Campo de Duheisha que falam inglês suficiente para dar entrevistas à jornalistas estrangeiros ou para conversar com os voluntários de outras nacionalidades. Os cursos oferecidas na Karama aumentam as possibilidades de comunicação destas mulheres e lhes proporciona melhores oportunidades tanto para cursar uma universidade quanto para arranjar um emprego. As mulheres que ainda não usaram seu inglês têm uma chance de praticá-lo na Karama.

Programa educativo para mulheres

As mulheres na sociedade palestina não têm muitas oportunidades para estudar e esta é a principal razão que levou a Karama a oferecer programas educacionais para mulheres. O objetivo destes programas é ensinar às mulheres as matérias necessárias para se conseguir um diploma de ensino médio bem como prepará-las para seguir estudando.

Em um dos projetos, 12 mulheres frequentaram em 3 dias, 3 aulas por dia de um professor qualificado pago pela Karama. Estas mulheres tinham entre 27 e 38 anos de idade. Para estas mulheres o primeiro passo foi aprender a ler e a escrever. O passo seguinte foi a preparação para nível secundário. Todas as 12 mulheres passaram nos exames. A última etapa foi estudar para o exame do ensino médio (Tawjehi). Nove das mulheres passaram e outras duas tiveram ótimas notas (83% e 87% ou seja, um A). Cinco destas nove mulheres que passaram nos exames estão agora cursando uma universidade.